BNCC em ação: Arte nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental

Levar os professores que ensinam Arte a compreender as habilidades relativas às diferentes linguagens artísticas presentes na BNCC

André Vilela
""

Aula 1 Contextos e práticas

 

Olá, professor!

Eu sou o Carlos Henrique Habe.

Nosso curso tem como objetivo explicar/contextualizar OS OBJETOS DE CONHECIMENTO assim como as HABILIDADES relativas aos mesmos dentro da unidade temática de artes visuais. Nessa aula vamos estudar o OBJETO DE CONHECIMENTO: CONTEXTOS E PRÁTICAS.

CONTEXTOS E PRÁTICAS

As artes visuais são meios pelos quais pessoas de épocas, lugares, culturas e sociedades diferentes se expressam, ou seja, podemos dizer que essas expressões artísticas são diferentes práticas de comunicação, visual e simbólica, influenciadas pelos mais variados contextos.

Devido a isso podemos considerá-la arte, desde uma pintura egípcia localizada na parede das pirâmides quanto uma pintura sobre tela feita por artista impressionista como Monet1 (1840-1926) ou, até mesmo, uma instalação2 exposta em uma bienal de arte3. Cada obra possui um contexto diferente e reflete o pensamento de sua época e lugar.

A DIVERSIDADE DAS ARTES VISUAIS

Falar da diversidade das artes visuais produzidas em diferentes épocas e culturas nos leva a refletir sobre a importância de mostrar aos alunos produções artísticas das mais diversas procedências. Dessa maneira, estaremos contribuindo para os sentimentos de respeito à pluralidade, de abertura para o novo e para o reconhecimento de sua própria cultura.

Mas, diante dessa infinidade de tipos, formas e estilos artísticos diferentes, como fazer com que essa experiência seja significativa para ele?

Para isso, podemos realizar um trabalho de apreciação de imagens de trabalhos artísticos (e, sempre que possível, propiciar o contato direto com objetos e expressões artísticas), com o objetivo de ampliar e aprofundar a capacidade da criança de olhar de forma sensível e reflexiva e, consequentemente, propiciar a elas o reconhecimento de significados nas produções artísticas de diversas culturas, assim como também em suas próprias produções.

A APRECIAÇÃO DE TRABALHOS ARTÍSTICOS

A apreciação de trabalhos artísticos é o que se faz para identificar os processos por meio dos quais eles foram produzidos, além de relacionar diferentes formas e significados que podem existir no contexto ao qual foram criados.

Em uma atividade de apreciação o professor pode, ao mostrar a imagem de um trabalho artístico, apresentar informações que contextualizem essa obra (como o processo de trabalho do artista ou detalhes de sua vida, a época em que viveu, etc.), e tudo aquilo que pode auxiliar a leitura e a interpretação que o aluno venha a fazer a respeito dela.

CONTEXTUALIZAÇÃO DOS TRABALHOS ARTÍSTICOS

A contextualização serve para que o aluno possa conhecer melhor um trabalho artístico. Por meio deste trabalho podemos entender melhor como a arte foi valorizada em determinado período, perceber a importância social de uma obra (e o papel social de um artista), ou enxergar os sentidos de uma manifestação artística para seu povo de origem (por exemplo, entender os sentidos e significados da arte indígena para seu povo).

Um trabalho artístico é um produto sócio-histórico, ele é resultado dos pensamentos e das ideias de determinada época e determinado lugar.

As atividades de apreciação podem ser feitas no início das aulas, durante uma atividade prática ou ao final delas.

NO INÍCIO DAS AULAS A APRECIAÇÃO DE IMAGENS PERMITE:

  • Contextualizar um tema, assunto ou trabalho artístico
  • Ampliar referências
  • Diagnosticar os conhecimentos prévios dos alunos

DURANTE AS ATIVIDADES PRÁTICAS:

  • Com o objetivo de apresentar diferentes soluções para as questões que surgem ao longo do processo de trabalho do aluno
  • Sugerir novos procedimentos no processo de experimentação de técnicas e materiais feito pelo aluno

NO FINAL DAS ATIVIDADES PROPICIA:

  • Que o aluno reflita sobre o próprio processo de trabalho ao apreciar suas produções e a dos colegas
  • Identificar características em suas produções
  • Exercitar a capacidade de relacionar e comparar aquilo que observa na sua própria produção e na dos colegas (e até mesmo em relação às referências apresentadas)

As atividades de apreciação são uma ferramenta muito importante para levar informações aos alunos através de referências visuais de diversos tipos. Também permite analisar os trabalhos realizados pelos mesmos, retomando conteúdos aprendidos e experiências vivenciadas nas atividades práticas e, assim, ampliar o seu repertório de arte (e de comunicação visual).



1 : Oscar-Claude Monet foi um importante pintor francês ligado ao grupo impressionista, corrente artística do Modernismo que buscava sugerir em suas pinturas a impressão visual de luz, sombra e espacialidade através do uso de pinceladas rápidas e da justaposição de cores sobre a tela.

2 : O termo instalação artística passou a ser utilizado na década de 1960 para se referir a trabalhos onde o espaço é utilizado como elemento constitutivo da obra, seja na criação de um ambiente ou na construção de algo para o espaço.

3 : O termo bienal de arte significa uma mostra ou exposição realizada bienalmente, mas que acabou se tornando sinônimo de grandes exposições internacionais de arte, muitas vezes com o objetivo de discutir a produção em arte contemporânea. São exemplos de bienais de arte famosas a Bienal de Arte de SP e a Bienal de Veneza.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BARBE-GALL, Françoise. Como Falar de Arte com as Crianças. Tradução Célia Euvaldo. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2012.

BERGER, John. Modos de Ver. Tradução Lúcia Olinto. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

DERDIK, Edith. Formas de Pensar o Desenho – Desenvolvimento do Grafismo Infantil. São Paulo: Zouk, 2010.

FAVARETTO, Celso. Arte Contemporânea e Educação. Revista Íberoamericana de Educación, n53. Madri: OEI, mayo-agosto 2010,pp. 225-235.

MARCONDES, Luiz Fernando. Dicionário de Termos Artísticos. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1998.

PILLAR, Analice Dutra. Leitura e Releitura. In A Educação do Olhar no Ensino das Artes. p. 7-17. Porto Alegre: Mediação,2011.

LEITURAS RECOMENDADAS

FAVARETTO, Celso. Arte Contemporânea e Educação. Revista Íberoamericana de Educación, n53. Madri: OEI, maio-agosto 2010,pp. 225-235. Disponível em: https://rieoei.org/historico/documentos/rie53a10.pdf. Acesso em 10 abr. 2018.

VIANNA, R. de S.; REZENDE, R. J. E. de. Mediação em Artes Visuais no Contexto Escolar: um Estudo de Caso e uma Proposta de Formação para Professores de Arte. Educação em Foco, n 29. Set/dez 2016, pp. 61-82. Disponível em:
http://revista.uemg.br/index.php/educacaoemfoco/article/viewFile/1871/1038. Acesso em 10 abr. 2018.

ASSISTA abaixo o vídeo com as atividades nas quais você poderá ver, na prática, como trabalhar com o Objeto de Conhecimento CONTEXTOS E PRÁTICAS:

Nesta atividade, o educador trabalha diversos conceitos e conteúdos das artes visuais na apreciação de obra realizada com as crianças, como natureza morta, pintura e elementos da linguagem visual. Observe que, na dinâmica de apreciação de imagens, é importante que as crianças possam manifestar suas hipóteses, conversar sobre o que estão vendo e trocar suas impressões. Neste contexto, o professor atua como um mediador, estabelecendo relações entre as falas das crianças e trazendo informações sobre a obra, para que compreendam suas relações com o contexto em que foi criada. É também papel do professor mediador fazer perguntas que provoquem o olhar das crianças para aspectos importantes das obras.

 

Imagens utilizadas na gravação:

  1. Natureza Morta com Torta de Peru Pieter Claesz (1627). (https://www.rijksmuseum.nl/en/collection/SK-A-4646)
  2. Natureza Morta Com Cupido Paul Cezanne (1894).
    https://www.khanacademy.org/humanities/becoming-modern/avant-garde-france/post-impressionism/a/czanne-still-life-with-plaster-cupid
  3. Peixe feito com peixes Irving Penn (1939)
  4. Jogos Depois do Jantar Irving Penn (1947)
    Para estas duas, temos o link: https://irvingpenn.org/still-life

A partir do que foi trabalhado nesta aula, você pode mobilizar
a habilidade estudada, usando o plano da aula a seguir.

Aula 1 – Contextos e práticas

HABILIDADES BNCC:

(EF15AR01) Identificar e apreciar formas distintas das artes visuais tradicionais e contemporâneas, cultivando a percepção, o imaginário, a capacidade de simbolizar e o repertório imagético.

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM:

Realizar a apreciação/leitura de imagens. Identificar a temática das obras apreciadas. Reconhecer as características estéticas das obras apreciadas. Manifestar suas opiniões e ouvir os colegas.


MATERIAIS NECESSÁRIOS:

Imagens de duas (ou mais) obras de arte sobre o mesmo tema (por exemplo, imagens de pinturas do gênero retrato
feitas com estilos diferentes ou de épocas diferentes, ou desenhos de flores feitos com técnicas e materiais diferentes etc., dependendo
do conteúdo que se quer trabalhar). Também é possível pedir, nas aulas que antecedem essas atividades, que os
alunos recolham esses materiais e os tragam para a escola.


ABERTURA

Sugestão de tempo: 15’

ORGANIZAÇÃO
Grupo em roda.

Como vimos no material teórico sobre o objeto do conhecimento Contextos e Práticas, “a apreciação de trabalhos artísticos é o que se faz para identificar os processos por meio dos quais eles foram produzidos, além de relacionar diferentes formas e significados que podem ter no contexto nos quais foram criados”.

Realizando com certa frequência as atividades de apreciação/leitura de imagens (das mais variadas procedências), o professor faz que seus alunos se familiarizem cada vez mais com imagens, ampliando seus repertórios em arte. Ao aumentar seu repertório, o aluno se sente cada vez mais à vontade para comentar as novas imagens que conhece e refletir sobre elas, estabelecendo, assim, novas conexões.

É dessa forma que as atividades de apreciação/leitura de imagens contribuem para a percepção com o imaginário e a capacidade de simbolizar da criança. Como exemplo de atividade de leitura de imagens, estamos sugerindo uma leitura comparada de trabalhos artísticos que trabalham o mesmo tema.

DESENVOLVIMENTO

Sugestão de tempo: 35’

ORGANIZAÇÃO
Classe toda.

PREPARAÇÃO DA ATIVIDADE

Selecione previamente imagens de duas obras de arte que tratem do mesmo tema para mostrar para a turma. Preste atenção na qualidade dessas imagens (nitidez, tamanho etc.) para que os alunos possam apreciá-las da melhor maneira possível.

Procure informações que ajudem na leitura da imagem, sobre o contexto da obra (época na qual foi produzida, informações sobre a vida e o pensamento do artista, a técnica utilizada etc.)

DURANTE A ATIVIDADE

Dentre muitas metodologias possíveis de leitura de imagens, nossa sugestão é a seguinte:

  1. OLHAR A IMAGEM. Prepare os alunos para a apreciação, fale com eles acerca da importância de estarem calmos para que consigam manter a concentração e, assim, olharem atentamente por algum tempo. É o primeiro contato com o objeto.
  2. DESCREVER. Peça aos alunos que descrevam a imagem. Estimule-os fazendo perguntas como “o que você está vendo?”. Se sentir necessidade, oriente-os para que possam descobrir mais detalhes e características da obra de arte.
  3. ANALISAR. A análise da imagem observada pode ser feita a partir de diversos aspectos. Você pode perguntar aos alunos sobre como foram usadas as cores, o que é grande e o que é pequeno, quais elementos estão na frente e quais estão atrás etc. Dessa forma, é possível perceber como a imagem foi construída.
  4. RELACIONAR COM O CONTEXTO. Um trabalho artístico é fruto de seu tempo e lugar. Nesse momento, cabe oferecer mais informações sobre a obra e seu contexto para que os alunos estabeleçam relações entre elas e aquilo que leram na imagem (relacionar o texto visual com seu contexto).
  5. INTERPRETAR. Nesse momento, cada um pode ter sua própria interpretação da imagem, relacionando o texto visual com as informações do contexto de suas produções. Ao interpretar a obra de arte, o aluno começa a entender um pouco da intenção do artista (da ideia que ele quer comunicar).

Obs.: Todo o procedimento apresentado pode ser feito com uma imagem de cada vez, para depois realizar o exercício de comparação entre elas, ou com as duas imagens ao mesmo tempo, para que os alunos possam ir identificando possíveis semelhanças e diferenças.

SISTEMATIZAÇÃO

Sugestão de tempo: 10’

ORGANIZAÇÃO
Grupo em roda

  • O que os alunos perceberam nas imagens mostradas?
  • Após a apresentação do contexto das obras de arte mostradas, os alunos mudaram seu entendimento delas, ou seja, sua interpretação, ao relacioná-las com as novas informações?
  • Que semelhanças e diferenças os alunos perceberam entre as imagens mostradas?
  • Os alunos relacionaram as imagens que apreciaram com seu próprio repertório de vivências, com aquilo que percebem em seu cotidiano?

O resultado da última etapa (5 – interpretar) pode ser verificado tanto pelas respostas e/ou novas perguntas que os alunos possam fazer quanto a partir de uma produção prática de texto escrito (uma lista com as características semelhantes encontradas nas duas imagens), um desenho (utilizando os elementos em comum) etc.

Obrigado e até a próxima aula!

  Aula anterior Próxima aula  

Compre já e tenha acesso à
todo conteúdo deste curso.
12x de R$ 12 ,05
R$ 120,00 à vista


  Voltar para a página do Curso
Voltar ao topo